TI

Colaboração entre universidade e empresa privada garante inovação em produtos de TI, afirma especialista

Da necessidade de colocar em prática o que se pesquisa dentro das universidades, surge uma parceria com o objetivo de criar produtos que usam o machine learning no processo de criação e manutenção de softwares

Com o crescimento da transformação digital os testes de software tem se tornado cada vez mais complexos. Uma estratégia utilizada por grandes empresas para contornar esse problema é automatizar o processo. O interesse em aplicar a inteligência artificial para a automação de várias atividades relacionadas à engenharia de software, incluindo em relação aos testes, tem sido crescente. É o que destaca o artigo “Machine Learning Applied to Software Testing: A Systematic Mapping Study”, realizado por pesquisadores da Universidade Federal do São Carlos (UFSCar). 

Continua após o anúncio

Entre as conclusões da pesquisa, está a constatação de que existe uma necessidade de mais e melhores pesquisas empíricas na área. Foi assim que surgiu a ideia de junção entre academia e setor privado, em uma parceria com o objetivo de criar produtos que usassem ciência de dados e algoritmos de machine learning e inteligência artificial para a agilidade no processo de criação e manutenção de um software. 

A solução, denominada Intelligent Quality Dashboard (IQD), foi desenvolvida pela empresa brasileira Prime Control para a análise e acompanhamento da qualidade do software de forma integrada. Além dessa tecnologia, foi criado pelos especialistas o robô Scouter, que agiliza e reduz os custos de manutenção na automação de testes. 

Os dois produtos surgiram de uma colaboração que une a perspectiva acadêmica com a iniciativa privada. “Nós estudamos bastante o estado da arte, que é o que a ciência sabe sobre o assunto. A empresa tem o conhecimento sobre o estado da prática, que é o que será desenvolvido no dia a dia. Pra gente, essa união é positiva, porque nos deixa antenados com o que está acontecendo fora da nossa ‘bolha’ e nos ajuda a melhorar nossas aulas. Inclusive, colocamos nossos estudantes em uma maior interação com o mercado de trabalho. Hoje, temos alunos que estão trabalhando com a Prime e já são profissionais na área”, destaca André Endo, professor da UFSCar e um dos idealizadores do projeto.

O investimento da empresa em pesquisa e inovação traz um diferencial para os clientes. “Nosso tempo dedicado para pesquisa é limitado. São muitas questões que precisam ser respondidas, como quais são as melhores práticas atuais e o que está sendo desenvolvido teoricamente. O trabalho dos acadêmicos é justamente esse. Já nosso trabalho é enxergar como conseguimos aplicar aquela teoria no dia a dia e agregar valor para nossos clientes. Toda prática vem de uma teoria”, afirma a head de Business Agility e R&aD na Prime Control, Ana Maria Côrrea.

“Para nós, o mais interessante é que conseguimos testar o que realmente funciona. A vida no mercado é dinâmica e na academia nós temos mais tempo para elucubrar as ideias. Porém, temos o problema que é não saber o que realmente funciona na prática. Ter esse feedback do que funciona com tempo de mercado é um grande ganho para nós”, explica o professor Vinicius Humberto Durelli, que também foi parceiro da Prime durante o processo. 

*Imagem: Pexels


Leia também
Framework desenvolvido pela Datum TI promete ser decisivo para a retenção de talentos

Framework desenvolvido pela Datum TI promete ser decisivo para a retenção de talentos

De acordo com dados do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (CAGED), foram realizados 6,17 milhões de pedidos de demissão entre...

4 ações de uma provedora de TI que auxiliam as grandes empresas a se manterem atualizadas

4 ações de uma provedora de TI que auxiliam as grandes empresas a se manterem atualizadas

Com a tecnologia cada vez mais sendo parte integral de uma empresa, ela precisa estar constantemente atualizada. Essas atualizações...

Automação para gerenciar a infraestrutura de TI dos serviços financeiros na era do Multicloud

Automação para gerenciar a infraestrutura de TI dos serviços financeiros na era do Multicloud

Na grande maioria dos setores, as primeiras preocupações sobre a migração dos dados para a Nuvem começaram anos...

85% dos líderes de infraestrutura e operações esperam aumentar a automação em três anos

85% dos líderes de infraestrutura e operações esperam aumentar a automação em três anos

Segundo dados da recente pesquisa do Gartner, cerca de 85% dos líderes de infraestrutura e operações (I&O) que...

Ver mais

Nenhum comentário no momento

Deixe um comentário