Do game ao mundo real: o impacto dos gamers na inovação global e na promoção da equidade de gênero

Do game ao mundo real: o impacto dos gamers na inovação global e na promoção da equidade de gênero
Imagem: Divulgação / Caroline Raimundo / Acer

Celebrado no final de agosto, especificamente no dia 29, o Dia Internacional do Gamer não apenas proporciona aos entusiastas dos jogos uma oportunidade para expressarem sua paixão, mas também oferece uma plataforma para reconhecer a influência profundamente significativa que essa diversificada comunidade exerce sobre a inovação em nossa sociedade contemporânea.

Essa realidade é confirmada por meio de evidências recentes extraídas do Global Games Market Report, elaborado pela instituição Newzoo. Esse relatório confirma a afirmação, ao revelar que a indústria global de jogos está projetada para alcançar cerca de US$ 188 bilhões em 2023, marcando um crescimento de 2,6% em relação ao ano anterior. Além disso, a quantidade de entusiastas de jogos deverá atingir a marca de 3,38 bilhões neste ano, representando um notável aumento de 6,3% em relação ao ano anterior. Essa cifra se desdobra em 2,86 bilhões de jogadores em dispositivos móveis, 892 milhões de jogadores em PCs e 629 milhões de jogadores em consoles.

Naturalmente, sinto-me muito animada diante desses dados, pois empresas exemplares como a Acer estão atentas quanto a essa crescente demanda e continuam investindo consideravelmente, além de se dedicarem a ouvir atentamente as aspirações desse público. Esse comprometimento se manifesta na contínua criação de hardwares poderosos e acessórios inovadores, que não apenas aprimoram a experiência de jogo, mas dão suporte aos gamers durante as prolongadas imersões no mundo virtual. Essa colaboração entre a indústria e os jogadores contribui para a formação de um ecossistema de jogos cada vez mais sofisticado e diversificado.

No entanto, sendo mulher e apaixonada pelo setor, sinto que devo adicionar meu ponto de vista sobre a construção desse cenário mais inclusivo. É crucial reconhecer que, apesar dos progressos e do comprometimento demonstrado pelo mercado, ainda há um longo caminho a percorrer para alcançar uma verdadeira igualdade e inclusão no universo dos jogos. A representação feminina e a diversidade de gênero permanecem como áreas nas quais a indústria deve empenhar-se em aprimorar gradativamente.

De fato, temos uma notável presença de mulheres gamers. Isso é respaldado pelo fato de que aproximadamente 74,5% dos internautas brasileiros participam ativamente de jogos online, sendo que as mulheres representam uma significativa parcela de 51,5% desse público, conforme dados da Pesquisa Gamer Brasil de 2022. Contudo, apesar do aumento numérico, é necessário que busquemos estabelecer uma representatividade mais sólida. É essencial avançar além das estatísticas e garantir que as vozes e a presença das mulheres no universo dos jogos sejam igualmente valorizadas e respeitadas. A luta contínua contra o assédio e os comportamentos ofensivos é apenas um dos diversos passos que devemos tomar para criar uma comunidade de jogos verdadeiramente inclusiva e acolhedora.

Devemos, portanto, continuar promovendo e inspirando a realização de torneios variados, ao mesmo tempo em que permanecemos próximas ao público feminino. Ao engajar-se ativamente em competições e eventos de eSports, assim como liderar equipes de desenvolvimento de jogos, as mulheres estão comprovando que possuem um espaço legítimo e valioso nessa indústria, que transcende os tradicionais papéis atribuídos.

É pertinente enfatizar, além disso, que a diversidade de perspectivas que as mulheres trazem consigo exerce um impacto direto na inovação e criatividade no âmbito da indústria de jogos eletrônicos. Suas contribuições para o design de jogos, a arte, a narrativa e as mecânicas de jogo enriquecem a experiência dos jogadores, introduzindo novas ideias e abordagens que moldam o futuro dos games. A inclusão de mais vozes femininas promove uma ampla variedade de gêneros e estilos de jogos, beneficiando toda a comunidade.

Vale também dizer que a incorporação de todas as perspectivas enriquece a experiência global, proporcionando uma vitalidade, autenticidade e profundidade maiores para cada jogador, independentemente de seu gênero. Unamos nossos esforços para promover a igualdade em todos os cenários. Como mulheres, é absolutamente crucial que nossas vozes ecoem para além dos headsets utilizados em jogos online. Devemos assumir um papel ativo não apenas durante o gameplay, mas desde as fases iniciais do desenvolvimento dos jogos.

*Por Caroline Raimundo é Diretora de Marketing Latam na Acer.

*Fonte: Acer


Leia também
Ampla abertura: NVIDIA acelera a inferência no Meta Llama 3
Ampla abertura: NVIDIA acelera a inferência no Meta Llama 3

Mais recente grande modelo de linguagem de código aberto da Meta — construído com tecnologia da NVIDIA — é otimizado […]

Gartner anuncia as principais tendências de tecnologia para governos em 2024
Gartner anuncia as principais tendências de tecnologia para governos em 2024

O Gartner apontou as cinco tendências tecnológicas-chave para governos em 2024, que podem direcionar líderes do setor público a prover […]

Web Summit Rio: Brasil e Angola apresentam avanços de parceria tecnológica
Web Summit Rio: Brasil e Angola apresentam avanços de parceria tecnológica

Serpro e Ministério das Finanças da República de Angola firmaram acordo para aprimoramento tecnológico em novembro de 2023. Primeiros resultados […]

Arena Senac RJ terá executivos de big techs no segundo dia de Web Summit Rio
Arena Senac RJ terá executivos de big techs no segundo dia de Web Summit Rio

No primeiro dia do evento, abertura institucional ressaltou a importância do evento para consolidar o Rio de Janeiro como um […]

Para Huawei, demanda pelo 5G é alta e operadoras já percebem retorno financeiro da rede
Para Huawei, demanda pelo 5G é alta e operadoras já percebem retorno financeiro da rede

A monetização do 5G, atualmente, é um dos desafios para ampliar a cobertura no país. O setor segue à espera de uma […]