Tecnologia

CryptoBike: iniciativa de potencial transformador que une blockchain, NFTs, bicicletas e sustentabilidade

Projeto global e pioneiro 'CryptoBike' visa, por meio da inovação e tecnologia, incentivar o ciclismo ao redor do mundo e ressaltar cuidados com a saúde das pessoas e do planeta que estão ao alcance de todos

Já imaginou uma ideia fora da caixa que se propõe a reunir blockchain, NFTs e bicicletas em um único projeto? Pois essa ideia se materializou em realidade pelas mãos - e cérebro - da Compass, a autora dessa iniciativa criativa e inédita em âmbito mundial. A empresa global e especializada em transformação digital inova mais uma vez e, de forma disruptiva e pioneira, anuncia a criação do app CryptoBike. Agora, fãs de esporte e tecnologia podem usufruir dessa inusitada combinação por meio de uma nova experiência desenvolvida pela Compass ao mesmo tempo em que investem no cuidado com a saúde e o planeta.

Continua após o anúncio

Formado por um aplicativo (disponível nos sistemas Android e iOS) para smartphones, um website e serviços de apoio desenvolvidos com tecnologia de nuvem com APIs (Application Programming Interface), microserviço e conectores de Rede Blockchain, o CryptoBike tem dois principais diferenciais: a forma de incentivar o público a participar da ativação e as tecnologias embarcadas no projeto. 

A forma de incentivo se destaca por oferecer um ativo digital - NFTs (non-fungible token) personalizadas - que é gerado conforme as pessoas completam objetivos em um percurso batizado de Tour de Terre, que tem a mesma quilometragem da mais importante competição de ciclismo no mundo, o Tour de France. 

O CryptoBike também se destaca pelo mix de tecnologias já existentes, como aplicativos para smartphones e aplicações em nuvem, com soluções inovadoras como a de blockchain e de processamento de imagens, pensando em um propósito mais abrangente do que resolver questões simples do dia a dia: o cuidado com a saúde das pessoas e com o planeta. 

A iniciativa na prática

Para vivenciar a iniciativa, basta ao interessado fazer a conexão do seu perfil no app Strava e, na sequência, o CryptoBike recebe as atividades registradas no Strava e acumula a distância que o usuário percorrer em atividade de ciclismo. Ao atingir os marcos de quilometragem, o CryptoBike capta o progresso do ciclista, ou seja, a quilometragem total pedalada por ele até aquele momento e as velocidades média e máxima registradas, gerando uma imagem com essas informações. Na sequência, o app realiza a cunhagem de um NFT em blockchain, vinculando o token não-fungível à imagem com as estatísticas do usuário.

“Batizamos o desafio proposto para os usuários de ‘Tour de Terre’, uma vez que nosso objetivo não é impor um trajeto específico, mas que as pessoas se sintam motivadas a trocar o carro pela bicicleta e pedalar por onde quiserem, acumulando quilometragens e recebendo nossos NFTs personalizados”, explica Alexis Rockenbach, CEO da Compass. “Enquanto no Tour de France os ciclistas pedalam mais de 3 mil quilômetros em território majoritariamente francês representando seus países, no Tour de Terre as pessoas podem pedalar a mesma quilometragem de qualquer lugar do mundo, e pelo mesmo time: o Planeta Terra”.

Abrir um diálogo sobre os impactos dos NFTs no meio ambiente

De acordo com Rockenbach, com esse novo projeto, a Compass propõe uma solução aos possíveis impactos dos NFTs no meio ambiente, porque é sabido que a geração de NFTs e as transações em redes blockchain consomem energia. Essa energia pode ter origem em fontes renováveis e sem grandes impactos ao ambiente, mas também pode ter origem em fontes não renováveis que geram emissão de CO2, por exemplo. Como uma tech partner global, a marca decidiu propor, então, uma alternativa para um problema global e o CryptoBike é isso: uma opção sustentável para um processo que pode causar danos ao meio ambiente devido ao gasto de energia.

“Os ganhos são coletivos e a provocação que estamos fazendo é para que as pessoas adotem a bicicleta como meio de transporte e pensem em como cada um pode contribuir para melhorar a sua própria vida e o planeta como um todo”, ressalta Rockenbach. “No final das contas, o NFT é uma excelente recompensa para o importante gesto de contribuir com a causa, visto que, ao trocar um meio de transporte poluente pela bicicleta, o ganho para o planeta é infinitamente maior do que a energia consumida no processo de geração da NFT", complementa.

O CryptoBike foi desenvolvido inteiramente pela Compass e contou com o apoio da GUT, agência de publicidade da marca, que atuou no processo criativo da campanha. Por se tratar de uma iniciativa pioneira e global, o app já está disponível no Brasil, nos Estados Unidos e na Europa, mas com grande potencial para disponibilidade futura em outros territórios. 

*Imagem: Pexels 


Leia também
Realidade aumentada eleva nível de integração de novos funcionários da linha de frente mesmo em mercados de trabalho mais retraídos

Realidade aumentada eleva nível de integração de novos funcionários da linha de frente mesmo em mercados de trabalho mais retraídos

Um projeto de pesquisa iniciado pela TeamViewer, provedora líder global de soluções de conectividade remota e...

Copa do Mundo 2022: como funciona a Rede de Distribuição de conteúdo (CDN)

Copa do Mundo 2022: como funciona a Rede de Distribuição de conteúdo (CDN)

Um dos principais eventos esportivos, a Copa do Mundo 2022, está acontecendo no Catar. Nesta edição, a transmissão...

Confira as 10 tendências tecnológicas mais promissoras para 2023

Confira as 10 tendências tecnológicas mais promissoras para 2023

Nos últimos anos, as inovações tecnológicas têm proporcionado uma verdadeira revolução, que...

Indústria de telecomunicações se movimenta no ecossistema de 5G

Indústria de telecomunicações se movimenta no ecossistema de 5G

A tendência global de virtualização das redes de telecomunicações em tecnologia de 5G está impulsionando a...

Ver mais

Nenhum comentário no momento

Deixe um comentário