Startup

Conselheira de startup que forneceu robô bombeiro para a Petrobras mostra caminhos para captar investimentos

Agências de fomento, fundos de investimento, empresas privadas e até estatais estão de olho em inovações das startups brasileiras. Entenda os caminhos para dar visibilidade para projetos inovadores

Apesar dos olhares atentos de investidores estrangeiros no Brasil, não é só com o dinheiro de fora do país que as empresas estão conseguindo crescer. Agências de fomento, fundos de investimento, empresas privadas e até estatais também estão de olho em inovações dos empreendedores brasileiros.

A Unidroid, startup que fornece soluções robóticas, é um desses exemplos, a empresa participou e venceu recentemente um edital para fornecer tecnologia para a Petrobras, a maior estatal brasileira.

Continua após o anúncio

Os empreendedores de São José dos Campos (SP) participaram do programa Conexões para Inovação – modulo Startups, e agora estão em fase de implementação para a Petrobras de uma linha de robôs de combate a incêndios, buscas e salvamentos, resgates e inspeções em áreas e situações de risco.

“Nós tínhamos praticamente pronta a solução que eles precisavam. Estávamos prontos no momento da necessidade deles. Alguns chamam isso de sorte”, diz José Carlos, diretor de engenharia da Unidroid.

Além de toda a tecnologia de vídeo, controle e segurança, os robôs da Unidroid são ultra resistentes ao calor, impactos e ao tempo, podendo trabalhar por muitos anos. Com esses atributos, eles protegem a vida, já que deixam as equipes da brigada de incêndio fora do perigo e são operados a até 300 metros de distância.

Fernanda Morelli, CEO da Unidroid afirma que é muito importante não perder oportunidades quando se está buscando investimentos. Ele ressalta que é necessário procurar entender os mercados pretendidos e “fazer a lição de casa”.

“Diplomacia, contatos e inteligência na hora de buscar quem pode ser parceiro de negócios é fundamental. A serendipidade ajuda imensamente quando se está no caminho certo. Mostrar sua inovação nos EUA, por exemplo, é bem mais simples porque um Power Point bem-feito pode te trazer milhões de dólares em investimentos. Aqui no Brasil mesmo com um bom MVP, governança, CNPJ, protótipo pronto, testado, funcionando e aprovado, pode ainda ser um baita desafio conseguir um bom investidor, que traga mais do que dinheiro”, ressalta Fernanda Morelli.

“O brasileiro é um povo que tem que se adaptar o tempo todo a um novo momento. Por causa disso, ele corre atrás e abraça as oportunidades que aparecem. Essa resiliência permite que nós corramos atrás dos objetivos e sigamos batendo nas portas mesmo após várias negativas. Buscar investimentos é assim e exige essa força de vontade e a crença no próprio trabalho e projeto”, comenta Jennifer Chen, conselheira e sócia da Unidroid, além de especialista em conexões entre grandes empresas e investidores e CEO da JC Capital, companhia que atua no mercado nacional e internacional através da captação de recursos.

Robô bombeiro para a Petrobras 

Potencial para investimentos

A despeito das crises políticas e econômicas, o Brasil segue sendo um dos principais destinos dos investimentos do exterior. De acordo com um relatório da Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Econômico (OCDE) e Banco Central (Bacen), no primeiro trimestre de 2022 o país foi o quarto principal destino do dinheiro dos investidores.

Segundo o Bacen, o Brasil recebeu US$ 27,88 bilhões em investimentos estrangeiros nos três primeiros meses deste ano. Para se ter uma ideia, somente China (US$ 101,91 bilhões), Estados Unidos (US$ 66,91 bilhões) e Austrália (US$ 59,31 bilhões) ficaram na frente.

Para mostrar como as inovações brasileiras estão na mira do mundo, no ano passado os estrangeiros aportaram US$ 46 bilhões em investimentos diretos no país, o que representou um aumento de 22,9% na comparação com 2020.

“O empreendedor brasileiro é tipicamente otimista, criativo e flexível, principalmente por causa das circunstâncias socioeconômicas que a gente vive. Além disso, temos uma diversidade cultural muito grande, o que ajuda na mistura de referências e ideias. Por estes e outros fatores que os empreendedores locais estão sempre inovando e sendo observados pelo mundo”, afirma Jennifer Chen.

Ela diz que antes da pandemia, áreas como o real state estavam em alta e atraindo o dinheiro. A especialista cita o mercado de construção civil de alto padrão, de programas sociais como o Minha Casa Minha Vida e habitações para estudantes como setores que vinham numa crescente.

Neste período de pós-pandemia, a especialista defende que os investidores seguem mirando o mercado imobiliário, já que a configuração das cidades foi transformada, uma vez que muita gente se mudou dos grandes centros por causa da possibilidade de trabalhar 100% de maneira remota. As healthtechs, que aprimoraram soluções de telemedicina, por exemplo, edutechs e fintechs também estão se destacando no cenário.

“Com a Guerra da Ucrânia impactando principalmente a questão dos fertilizantes, os investidores estão olhando com bastante atenção para o agronegócio brasileiro. As startups do agro que estão desenvolvendo soluções para aumentar a produtividade estão se destacando neste quesito”, acrescenta.

Caminhos para mostrar as inovações ao mundo e captar recursos

Chen explica que são vários os caminhos para que empreendedores mostrem ao mundo suas ideias. Ela cita programas de inovação como o Sebrae Like a Boss e o StartOut Brasil, programas que oferecem cursos online gratuitos, mentorias, capacitação para os negócios e mais.

Além da integração com esses ecossistemas voltados para a promoção de inovações, é essencial a participação em eventos como o Web Summit, que é a maior conferência da Europa em tecnologias e que oferece atividades online como palestras.

A especialista cita ainda mais dois aspectos importantes para quem quer dar visibilidade para o próprio empreendimento. Ela salienta que a participação em hubs de open innovation, como o Ibrawork, que conectam startups com o mercado nacional e internacional, e a consultoria também são essenciais.  

Como exemplo disso, foi por meio da participação e vitória em um concurso promovido em evento do  Ibrachima (instituto ligado ao Ibrawork) que a Unidroid teve a oportunidade de iniciar a internacionalização de seus produtos como expositores na Gitex Dubai 2022.

“São necessários alguns passos antes de sentar-se com os possíveis investidores para tentar a captação de recursos. A empresa precisa fazer o valuation correto, é preciso verificar o contrato social com os sócios, para analisar se não há nenhum processo, por exemplo, realizar o due diligence etc”.

O trabalho realizado por consultores não pode ser dispensado porque é muito comum que principalmente iniciantes não saibam as condições da própria empresa, lembra Chen. Ela defende que consultores não deixam somente a “casa arrumada”, mas também ajudam os empreendedores a entender as próprias necessidades.

Quando um negócio busca dinheiro junto às agências de fomento, bancos, investidores anjo, outras empresas e mais, o empresário precisa saber se ele está captando recursos que serão destinados para capital de giro ou expansão, por exemplo. Feito corretamente, o diagnóstico levará para um próximo e importante passo.

“Depois que um consultor entendeu tudo sobre o negócio do cliente que está atendendo, nós passamos para a fase de montar um pitch deck para apresentar aos possíveis investidores. Eu digo que ele precisa estar incrível, tanto na parte visual quanto no conteúdo, com números e tudo mais. Investidores recebem diversos pitch decks todos os dias, então não é possível fazer brilhar os olhos sem um documento completo que indica a maturidade e conhecimento do próprio negócio”. 

*Imagens: Divulgação / Unidroid


Leia também
Startup: 3 dicas para inovar com menos recursos

Startup: 3 dicas para inovar com menos recursos

O aprimoramento de ferramentas e processos é capaz de gerar inovação no ambiente corporativo, permitindo que os executivos...

Startup paulista lança 1º sistema de segurança cibernética 100% on-line e na nuvem do Brasil

Startup paulista lança 1º sistema de segurança cibernética 100% on-line e na nuvem do Brasil

Ameaças cibernéticas não são coisas de filmes de ação. Na vida real, diariamente, milhares de empresas...

Buser anuncia serviço de localização de ônibus em tempo real

Buser anuncia serviço de localização de ônibus em tempo real

A startup Buser, maior plataforma de intermediação de viagens rodoviárias do Brasil, está inovando novamente ao...

Startup tem 150 cidades na fila de espera para implementar o serviço de monitoramento móvel de chamados após Fenasan

Startup tem 150 cidades na fila de espera para implementar o serviço de monitoramento móvel de chamados após Fenasan

A startup Wil, especializada em monitoramento móvel no país e com pouco mais de dois anos de mercado, fez sua estreia no maior evento...

Ver mais

Nenhum comentário no momento

Deixe um comentário