O papel do CISO para transformar a cibersegurança em uma alavanca de reputação para as empresas

Cibersegurança
Imagem: Freepik

Atualmente, não há dúvidas de que a tecnologia permeia todos os aspectos de nossas vidas, incluindo o mundo dos negócios. Por isso, a cibersegurança emerge como um pilar fundamental para certificar a sustentabilidade e o crescimento das empresas, de forma a garantir a reputação da marca frente aos perigos cibernéticos contemporâneos. 

E é dentro desse desafio que a figura do Chief Information Security Officer (CISO) torna-se imprescindível, não só para defender o perímetro digital das organizações, mas também para fomentar um ambiente inovador e seguro. 

Para se ter uma ideia da importância desse profissional, é necessário olhar primeiramente para a gravidade da realidade atual. Um relatório publicado recentemente pelo Fórum Econômico Mundial (FEM), por exemplo, caracteriza os ciberataques como um dos cinco maiores riscos que podem ocasionar uma crise material global neste ano.

Essa é apenas uma amostra de como os incidentes cibernéticos tendem a causar prejuízos enormes às companhias. Isso acontece porque os agentes mal-intencionados concentram suas investidas em violações de dados, seja por meio de ransomwares, phishings ou outros tipos de ataques que resultam em vazamentos substanciais de informações dos clientes, colaboradores e até da própria marca.

Fora os problemas legais e financeiros, a confiança e a credibilidade junto ao público ficam comprometidas em meio a uma situação desse tipo. E, para piorar, é um prejuízo que pode ocorrer do dia para noite, afinal, vivemos em uma era onde a velocidade domina quase todos os processos e, portanto, a boa reputação de uma organização também pode ser desfeita em questão de horas após a divulgação de um ciberataque.

Como o CISO age para evitar ataques cibernéticos

O CISO desempenha um papel crítico na implementação eficaz de estratégias de segurança digital, blindando tanto os dados quanto os sistemas da empresa como um todo. Basicamente, a responsabilidade deste profissional abrange a gestão de riscos, a aplicação de controles de proteção e a liderança de equipes de resposta a incidentes.

Além disso, esse especialista é fundamental na promoção de uma cultura de cibersegurança entre os times. Apesar de trazer riscos graves, muitos colaboradores, e até organizações inteiras, não entendem com precisão a seriedade do problema. Assim, é uma posição que também visa aumentar a conscientização sobre as melhores práticas ligadas ao tema.

Como implementar uma boa estratégia de cibersegurança

Os desafios enfrentados pelo CISO são numerosos e complexos. Alguns dos principais deles são a sofisticação crescente dos crimes cibernéticos, a escassez de talentos especializados na área e até o equilíbrio entre táticas de proteção e usabilidade das ferramentas digitais. 

Olhando para isso, é certo dizer que o profissional deve acompanhar as rápidas mudanças tecnológicas e extrair insights dessas dinâmicas para gerenciar os recursos limitados que asseguram a vida digital da empresa. 

Qualquer estratégia de cibersegurança pensada pelo CISO deve começar com um processo de integração aos negócios da companhia. Não à toa, as outras lideranças precisam estar alinhadas a esses movimentos, até para que sejam incorporados em todos os níveis da organização e resultem na criação de modelos de governança robustos. 

Aliás, vale frisar que uma cadeia de proteção digital com esse nível de solidez e coerência reflete tanto no aumento de confiabilidade junto aos clientes e colaboradores, como também para o mercado como um todo. Investidores e eventuais parceiros entendem que aquele ambiente é seguro e propício para “pensar fora da caixa” dentro do universo digital. Logo, estruturar negociações comerciais e bons acordos com base nesse direcionamento é uma decisão inteligente para alcançar um potencial competitivo sem imprevistos.

Olhando para todas essas questões, podemos concluir que o papel do CISO transcende a mera gestão de riscos cibernéticos, sendo um catalisador para a inovação segura e sustentável. Por meio de uma liderança eficaz e uma visão estratégica, o especialista tem o poder de transformar a prevenção em uma alavanca de negócios, contribuindo significativamente para a reputação e o sucesso da empresa no cenário moderno.

*Por Bruno Telles, cofundador e COO da BugHunt

*Bruno Telles é cofundador e COO da BugHunt, empresa de cibersegurança referência em Bug Bounty, programa de recompensa por identificação de falhas. Formado em Engenharia de Computação, atua na área de segurança há 17 anos, com foco em segmentos como segurança ofensiva, defensiva, conscientização e GRC. Já trabalhou com empresas como Porto Seguro, Grupo Carrefour Brasil, Alelo, SESI Nacional e SENAI Nacional.


Leia também
VPN para jogos on-line: muito além da cibersegurança
VPN para jogos on-line: muito além da cibersegurança

Os jogos on-line não são mais apenas um passatempo, tornaram-se parte integral da cultura contemporânea, conectando milhões de jogadores em […]

Gartner revela 8 previsões de cibersegurança para 2024
Gartner revela 8 previsões de cibersegurança para 2024

O Gartner anuncia oito das principais previsões de cibersegurança para 2024 e os próximos anos. Entre as principais previsões, a […]

Cibersegurança: Check Point Software anuncia nova colaboração com a Microsoft
Cibersegurança: Check Point Software anuncia nova colaboração com a Microsoft

Anúncio demonstra o uso das soluções Check Point Infinity AI Copilot com o Microsoft Azure OpenAI Service para definir novos […]

Ciberataque: por que o tempo de resposta é essencial?
Ciberataque: por que o tempo de resposta é essencial?

No universo cada vez mais interconectado dos negócios digitais, a segurança da informação se tornou uma frente estratégica para proteger […]

Além da segurança e da proteção: liberando o potencial dos analíticos
Além da segurança e da proteção: liberando o potencial dos analíticos

A tecnologia de segurança é um investimento. Como acontece com todos os investimentos empresariais, é importante considerar a melhor forma […]