Dia Internacional da Internet Segura: 6 dicas para se proteger online

Cibersegurança
Imagem: Freepik

Hoje, dia 6 de fevereiro, celebramos o Dia Internacional da Internet Segura, uma iniciativa da Redes INSAFE-INHOPE e da Comissão Europeia. Essa data visa não apenas conscientizar, mas também inspirar ações práticas para promover o uso responsável e seguro da internet, um imperativo em meio às crescentes ameaças cibernéticas globais.

 Apesar do aumento na adoção da internet móvel e nos pagamentos digitais no Brasil, os roubos de dados persistem, impactando consumidores e tornando as empresas vulneráveis a ciberataques. Dados provenientes de um estudo realizado pela IBM revelam que o roubo e vazamento de dados são as principais formas de ciberataques no país. A América Latina, especialmente o Brasil, tornou-se um alvo significativo para cibercriminosos virtuais. Apesar de representar apenas 12% do total de ataques, a região ocupa a quarta posição como uma das mais impactadas globalmente.  

Qual é o mecanismo dos ataques cibernéticos?

Os criminosos escolhem um alvo, como uma pessoa, empresa ou governo. Eles procuram por pontos fracos nos computadores ou na segurança online do alvo. Uma vez encontrada uma fraqueza, eles invadem redes e sistemas usando vírus ou programas maliciosos. 

Esses ataques causam ações prejudiciais como, roubo e criptografia de dados e informações, bloqueio de ransomware e danificação de sistemas. Em algumas situações, é pedido um resgate para a liberação dos dados.   

Desafios enfrentados pelas empresas:  

“Com a crescente ameaça de violações de dados e a intensificação das regulamentações de privacidade, as empresas enfrentam obstáculos cada vez mais significativos para proteger as informações sensíveis de clientes e parceiros. A abordagem estratégica para enfrentar esses desafios inclui a implementação eficaz de soluções avançadas em nuvem, implementação sólida de segurança e governança dos dados”, ressalta Marileusa Cortez, Data Governance Manager da Keyrus, consultoria internacional especialista em Inteligência de Dados e Transformação Digital.

As empresas enfrentam desafios significativos, incluindo adaptação a regulamentações em constante mudança, como a LGPD, e a gestão eficaz de dados sensíveis. A implementação de medidas avançadas em nuvem e segurança é crucial.

Desafios enfrentados pelos consumidores: 

Segundo explica o especialista em dados e inovação e professor de MBA da FGV, Kenneth Corrêa, um dos principais desafios é a dificuldade em compreender e controlar a quantidade de dados pessoais compartilhados online. “Muitas pessoas navegam na internet sem o conhecimento pleno de como suas informações estão sendo utilizadas ou a quem estão sendo disponibilizadas. A falta de transparência por parte de algumas empresas e a complexidade dos termos de serviço dificultam que os usuários façam escolhas informadas a respeito de sua privacidade”, ressalta.

Além disso, ao coletar dados sem obter consentimento explícito e informado, a empresa está desconsiderando os direitos fundamentais de privacidade de seus usuários. “Os riscos são variados: desde o uso indevido de informações pessoais para publicidade direcionada excessivamente intrusiva até o potencial de vazamento de dados sensíveis em caso de falhas de segurança. Isso pode levar a consequências graves como fraudes, roubo de identidade e perda financeira”, destaca o professor da FGV. Kenneth ressalta que é imprescindível que as empresas adotem práticas de coleta de dados responsáveis, transparentes e seguras, respeitando os regulamentos de proteção de dados, para minimizar esses riscos e proteger a privacidade dos indivíduos.

É crucial proteger os dispositivos, sejam eles celulares, computadores e tablets. Estar ciente desses riscos é importante para adotar práticas de seguranças simples e eficazes, veja algumas dicas a seguir.

6 dicas para manter a segurança dos dados: 

  • Configure redes Wi-Fi seguras:

Em casa e no escritório, configure redes Wi-Fi com criptografia WPA3 ou, no mínimo, WPA2. Use senhas fortes para proteger o acesso à rede, evitando o acesso não autorizado.

  • Utilize uma rede virtual privada (VPN):

Ao acessar redes Wi-Fi públicas ou até mesmo redes em casa, ou no escritório, use uma VPN para criar uma conexão segura. Isso criptografa o tráfego de dados, protegendo as informações contra possíveis interceptações.

  • Controle o acesso físico:

Mantenha seus dispositivos móveis seguros fisicamente. Em casa, evite deixar seu smartphone ou tablet desacompanhado. No escritório, use armários ou gavetas trancadas para armazenar dispositivos quando não estiverem em uso.

  • Implemente políticas de segurança:

No ambiente de trabalho, crie e aplique políticas de segurança que incluem diretrizes sobre senhas fortes, acesso a dados sensíveis e a utilização de dispositivos pessoais. 

  • Gerencie dispositivos remotamente:

Utilize recursos de gerenciamento remoto, como “Find My Device” (Encontre meu dispositivo), para localizar, bloquear ou apagar dados remotamente em caso de perda ou roubo de dispositivos. Isso é especialmente importante em ambientes corporativos.

  • Mantenha software de segurança atualizado:

Instale e mantenha atualizados programas antivírus e antimalware em dispositivos móveis. Certifique-se de que os dispositivos estejam configurados para receber automaticamente as últimas atualizações de segurança.

Ao adotar essas medidas em ambientes domésticos e no trabalho, você estará fortalecendo significativamente a segurança dos dados em dispositivos móveis. A conscientização e a implementação consistente dessas práticas ajudarão a proteger informações críticas e reduzir os riscos de exposição a ameaças cibernéticas.


Leia também
Cibersegurança em IoT: alerta sobre riscos de ataques cibernéticos e recomendações para garantir a proteção de dispositivos conectados
Cibersegurança em IoT: alerta sobre riscos de ataques cibernéticos e recomendações para garantir a proteção de dispositivos conectados

Líder do Comitê de Segurança da ABINC afirma que a baixa conscientização em segurança do mercado IoT é um dos […]

Empresas precisam investir na proteção cibernética das Tecnologias Operacionais (OT)
Empresas precisam investir na proteção cibernética das Tecnologias Operacionais (OT)

Em conversa com Eduardo Lopes, CEO da Redbelt Security e Matheus Borges, CCO da Redbelt Security, dois especialistas compartilharam suas […]

Mercado financeiro: protegendo ativos na era digital
Mercado financeiro: protegendo ativos na era digital

O mercado financeiro é reconhecidamente um dos que mais investe em inovações para digitalizar suas operações e os serviços oferecidos […]

Cuidados cibernéticos no carnaval: como se proteger dos golpes virtuais durante a folia
Cuidados cibernéticos no carnaval: como se proteger dos golpes virtuais durante a folia

Durante o carnaval, período conhecido por festas e descontração, os brasileiros ficam mais suscetíveis a ciberataques, conforme indicado por uma […]

3 estratégias para fortalecer a segurança da cadeia de suprimento de software
3 estratégias para fortalecer a segurança da cadeia de suprimento de software

Em meio ao aumento das ameaças cibernéticas, analistas preveem um aumento triplo nos ataques à cadeia de suprimento até 2025, afetando quase […]