Remessas mundiais de PCs cresceram quase 10% em 2021, segundo o Gartner

Por: Colaborador externo Leitura 10 min 14 Jan, 2022 PC e Notebook 0 810

Remessas mundiais de PCs caíram 5% no quarto trimestre do ano, mas expectativa é que mercado siga saudável, mesmo com a desaceleração impulsionada pela pandemia

Continua após o anúncio

As remessas de computadores ao redor do mundo totalizaram 88,4 milhões de unidades no quarto trimestre de 2021, número que representa queda de 5% em relação ao mesmo período de 2020, segundo pesquisa do Gartner, Inc., líder mundial em pesquisa e aconselhamento para empresas. Este é o primeiro declínio ano a ano após seis trimestres consecutivos de crescimento neste setor. No acumulado do ano de 2021, as remessas de PCs atingiram 339,8 milhões de unidades, um aumento de 9,9% em relação ao ano anterior. 

"O declínio acentuado no mercado de PCs dos Estados Unidos, causado por problemas contínuos na cadeia de suprimentos e o colapso na demanda por Chromebooks, impulsionou a desaceleração deste trimestre", diz Mikako KitagawaDiretora de Pesquisa do Gartner. "Isso provavelmente significa o fim do crescimento maciço e inesperado na demanda de PCs desencadeado pela pandemia", acrescenta. 

Segundo a analistaapesar dos números, o resultado de 2021 pode ser considerado positivo. "A queda do quarto trimestre apenas atenuou ligeiramente o crescimento do mercado de PCs no ano, que registrou o maior volume de remessas desde o ano de 2013. Durante a pandemia, o crescimento das remessas foi apoiado por um aumento no preço médio de venda (ASP), resultando em receitas mais altas e um mercado mais saudável de forma geral. Como resultado, os volumes anuais de remessas de PCs não devem cair para níveis pré-pandemia por pelo menos 2 ou 3 anos." 

Os três principais fornecedores do mercado mundial de PCs permaneceram inalterados no quarto trimestre de 2021, com a Lenovo mantendo o primeiro lugar em remessas. 

As remessas mundiais de PCs da Lenovo caíram quase 12% no quarto trimestre de 2021, que foi o primeiro período de declínio desde o primeiro trimestre de 2020. Essa diminuição foi devida à desaceleração do mercado dos Estados Unidos, além da diminuição na demanda por Chromebooks. Além disso, os problemas na cadeia de suprimentos dificultou a marca no fornecimento de PCs para clientes corporativos. Esses fatores também contribuíram para o declínio de 4% ano a ano da HP. No entanto, o declínio da HP foi moderado por um crescimento robusto no mercado da Ásia-Pacífico. A Dell ganhou participação de mercado neste período após registrar um quinto trimestre consecutivo de crescimento. O volume de embarque ultrapassou 17 milhões de unidades pela primeira vez na história da empresa, liderado pelo forte desempenho na América Latina, EMEA e Ásia-Pacífico. 

 Visão geral regional - No quarto trimestre de 2021, o mercado de PCs dos Estados Unidos viu seu segundo trimestre consecutivo de declínio de dois dígitos, com as remessas caindo 24,2% ano a ano. Essa diminuição foi em grande parte impulsionada por remessas fracas de Chromebooks, pois a demanda das instituições de ensino continuou a diminuir. Embora as vendas de PCs comerciais nos país norte-americano tenham sido geralmente fortes devido à recuperação da economia e à reabertura dos escritórios, os atrasos na cadeia de suprimentos afetaram os volumes de remessas, especialmente no mercado de grandes empresas. A temporada de férias também viu vendas de PCs mais fracas do que em 2020 devido à modesta demanda do consumidor. A Dell garantiu o primeiro lugar no mercado de PCs dos Estados Unidos com base em remessas com 28,5% de participação de mercado. A HP seguiu com 25,9% de participação no mercado de PCs nos Estados Unidos

O mercado de computadores na região da Europa, Oriente Médio e África (EMEA) cresceu 7,4% na comparação ano a ano, atingindo 26 milhões de unidades no 4T21, o maior volume em cinco anos. Esse crescimento foi liderado pela demanda de PCs empresariais associada à crescente recuperação econômica e social, já que muitas empresas, escolas e universidades começaram a retornar às operações presenciais. Excluindo o Japão, o mercado da Ásia-Pacífico cresceu 11,5% ano a ano. O mercado de notebooks foi particularmente forte na região, já que muitas empresas privadas encomendaram PCs portáteis extras em antecipação a uma possível escassez de mercado. 

 Visão geral 2021: Pandemia levou ao renascimento do mercado de PCs - As remessas mundiais de PCs totalizaram 339,8 milhões de unidades em 2021, um aumento de 9,9% em relação a 2020. 

Após um longo período de declínio e crescimento modesto ocasional, a pandemia reviveu a indústria de PCs, como evidenciado pelo forte crescimento contínuo de 2021. O Gartner espera que a demanda de PCs diminua pelo menos nos próximos dois anos, mas os volumes anuais de remessas não devem cair para níveis pré-pandemia nesse período. 

"A pandemia mudou significativamente o comportamento dos usuários de PCs comerciais e de consumo doméstico, pois as pessoas tiveram que adotar novas formas de trabalhar e viver", diz Kitagawa. "Pós-pandemia, algumas das formas recém-estabelecidas de usar PCs continuarão sendo uma prática regular, como estilos de trabalho remotos ou híbridos, fazer cursos online e se comunicar com amigos e familiares por ferramentas digitais."  

*Imagem: Pexels 

 

Compartilhar Deixar um comentário

Leia também


    Nenhum comentário no momento

    Comentar

    *O seu e-mail não será mostrado no comentário

© 2015 - 2022 - FalandoTech.com - Todos os Direitos Reservados

Movido com muito em Campos dos Goytacazes/RJ