Três dicas para iniciar trabalhos como freelancer

Freelancer
Imagem: lechatnoi / Canva

O mercado de trabalho tem se transformado significativamente nos últimos anos, não só por modelos cada vez mais atrativos para empresas e trabalhadores, como o teletrabalho e o trabalho remoto, mas pela mudança geracional que muitas companhias já estão vivenciando. 

Hoje, os talentos têm novas preferências e, de acordo com uma pesquisa recente realizada pela Deloitte, os principais motivos para permanecer no emprego para a Geração Z (pessoas nascidas entre 1990 e início dos anos 2000) são o equilíbrio, flexibilidade, oportunidades de aprendizado e desenvolvimento, além de salário e benefícios. Os resultados contrastam com os interesses das gerações passadas, que colocam a estabilidade e a segurança em primeiro lugar. 

Nesse sentido, os freelancers, trabalhadores autônomos que oferecem serviços específicos por determinados períodos, vêm ganhando popularidade, pois permite autonomia e flexibilidade para a execução das tarefas e, assim, o gerenciamento do próprio tempo e produtividade, permitindo se relacionarem com uma ou várias empresas simultaneamente. 

Diante do crescimento desse modelo de contratação, e com o objetivo de ajudar quem quer ter independência, a Deel, empresa global de recursos humanos, criou um guia sobre a autonomia no trabalho. 

Por que ser freelancer? 

Ter independência, organizar o tempo, melhorar as oportunidades econômicas, diversificar a renda e ter horários flexíveis são algumas das razões que levam os trabalhadores a serem independentes. No entanto, ser freelancer também permite se conectar com novas culturas e ampliar a rede de contatos, já que muitas ofertas desse tipo são para o trabalho remoto e publicadas por empresas localizadas no exterior. De fato, segundo dados da Deel, a contratação de profissionais latino-americanos em companhias americanas cresceu 50% em 2023. E o Brasil é tido como um dos três países de onde mais se contrata talentos internacionais. Por isso, é uma ótima experiência para quem quer aprender e/ou aperfeiçoar um idioma ou internacionalizar a carreira. 

  1. Como conseguir clientes? 

É importante identificar em qual mercado atuar e que tipo de competências e serviços são exigidos. Embora o setor de tecnologia seja o mais solicitado, segundo a Deel, também há uma alta demanda em mídias sociais, engenharia, consultoria, comunicação e marketingentre outras áreas.  

Da mesma forma, fazer uso de ferramentas digitais para se posicionar entre a diversidade de talentos freelancers é a chave para fazer a diferença. Por isso, é necessário consolidar uma marca pessoal, um site, um perfil nas redes sociais ou um blog com todo o portfólio de serviços, para que as habilidades e diferenciais do trabalhador sejam visíveis. 

  1. Taxas e outros erros 

Determinar o valor do próprio trabalho é um dos principais desafios para um freelancer. Aliás, é um dos erros mais frequentes para quem parte para esse modelo, pois tende a subestimar sua gestão. Por isso, é importante calcular corretamente as despesas obrigatórias, trabalhistas e pessoais para pedir um valor justo. Plataformas como a Deel oferecem ferramentas funcionais, como o Salary Insights, que permite que empresas e trabalhadores vejam os salários médios por funções e setores para oferecer propostas mais competitivas. 

  1. Quanto devo trabalhar? 

Um dos erros mais comuns que os freelancers cometem é se comprometer com mais projetos do que realmente podem lidar. Isso gera, além de um desgaste da relação com os tomadores de serviços por possíveis descumprimentos, à pressão e estresse desnecessários. Por isso, é importante organizar a jornada de trabalho, planejar, priorizar e distribuir o tempo de forma inteligente, para ter maior controle das atividades e, claro, cumprir integralmente os objetivos. 

“O talento nacional continua se consolidando aos olhos das empresas globais. De acordo com nosso mais recente “Relatório Anual de Contratação Global”, o Brasil está entre os três países latino-americano mais atraentes para contratar talentos do exterior. Isso mostra que os brasileiros não têm medo de transcender fronteiras para realizar seus sonhos e, nesse sentido, o ‘freelancing’ se projeta como uma opção interessante, o que garante liberdade e autonomia para praticar de qualquer lugar do mundo“, afirma Cristiano Soares, Country Manager da Deel no Brasil. 

 


Leia também
O que fazer para mudar de carreira e entrar no mundo tech?
O que fazer para mudar de carreira e entrar no mundo tech?

Mudar de carreira pode ser um desafio, mas com o mercado de tecnologia tão aquecido, muitas pessoas enxergam uma oportunidade […]

E-commerce na América Latina: Como os varejistas podem explorar todo o potencial?
E-commerce na América Latina: Como os varejistas podem explorar todo o potencial?

Não podemos negar que a América Latina é um dos mercados mais promissores para o segmento de e-commerce. Para se […]

Economia e eficiência são principais ganhos quando empresas buscam a IA generativa para melhorar a experiência do cliente
Economia e eficiência são principais ganhos quando empresas buscam a IA generativa para melhorar a experiência do cliente

Tecnologia tem sido capaz de poupar valores significativos e melhorar a eficiência para o setor varejista Atualmente, a eficiência e […]

Estratégias não Omnichannel ameaçam crescimento de negócios e relevância no mercado
Estratégias não Omnichannel ameaçam crescimento de negócios e relevância no mercado

No atual cenário de comércio global, os consumidores desempenham o papel central na elaboração de estratégias de vendas das empresas. […]

Avanços do mercado solar e perspectivas para 2024
Avanços do mercado solar e perspectivas para 2024

O papel do armazenamento de energia na transição para fontes renováveis O mercado de armazenamento de energia desempenha um papel […]