Mercado

Para não perder clientes em um clique, empresas traçam estratégias humanizadas e escalam negócios

Relacionamento com consumidores demanda atendimento omnichannel, experiências ágeis e personalizadas

Mais de um terço dos consumidores consideram a possibilidade de romper com uma marca depois de uma experiência ruim. A pesquisa da Sitel Group mostra que oferecer bons produtos já não é mais suficiente para deixar o consumidor feliz. Num mercado altamente competitivo e dinâmico, as empresas precisam melhorar cada vez mais o relacionamento com os clientes. Mas as formas de garantir a atração e a retenção mudaram radicalmente. O público demanda atendimento omnichannel e experiências humanizadas.

Continua após o anúncio

"Colocar o consumidor no centro é determinante para que empresas obtenham o crescimento de seus negócios de forma sustentável. Mas, para garantir a satisfação do consumidor, é preciso dar um passo atrás e conhecê-lo." É o que defendeu a CEO da Customer Centric Consulting, Euriale Voudela, durante o painel sobre omnichannel, realizado no Viasoft Connect 2022 e promovido pela Nexcore. "Quanto mais insights do comportamento do consumidor, mais ofertas agregativas são possíveis", complementou.

Entre as companhias que mais crescem no mundo, 80% investem na melhoria da experiência do cliente com base em dados. O percentual é de uma pesquisa da consultoria Gartner que concluiu: atrair e reter clientes é crucial para a estabilidade da empresa no longo prazo. Para isso, especialistas acreditam ser importante aplicar analytics a partir de uma base robusta de dados dos consumidores, os atuais e os novos em potencial. "A tecnologia tem papel fundamental para identificar o perfil e analisar sentimentos do consumidor", explicou Euriale.

Num ambiente em que a experiência do cliente deve ser cada vez mais valorizada, o atendimento é uma área que precisa ser tratada de forma estratégica. Para o CTO da Wiser Educação, Marlon Oliveira, o poder de decisão na mão do cliente torna a experiência de compra única e traz fidelização. "Temos que ir onde o cliente está. Esses canais precisam ser alcançados e explorados da melhor forma", afirmou.

Solução é ser omnichannel 

"Omnichannel não é multi, é uma experiência fluída", esclareceu o head de Marketing e Inovação do Grupo Lume, Alexandre Conte, durante a roda de conversa sobre o tema. Para ele, não basta só ter um preço melhor que seu concorrente, é necessário oferecer um atendimento que acompanhe as tendências e novas tecnologias. "A hora agora é do metaverso. Mas, mais do que estar no metaverso, é preciso usá-lo como meio de atendimento e interação, de forma integrada com todos os outros meios."

Quem já adotou o omnichannel, saiu na frente. Pois, para atingir as expectativas do consumidor é preciso atendê-lo de forma ágil, objetiva e o principal: no canal que ele preferir. É essencial estar presente em diversos meios - além de ligação telefônica e e-mail, também outros como WhatsApp, Facebook e Telegram. Mas essa disponibilidade precisa ser humanizada. Dentro desse movimento, a Anatel tem fechado o cerco contra as robocalls - ligações automáticas originadas por robôs-, e passou a considerar que elas fazem mau uso dos serviços de telecomunicações. Agora, as empresas que fizerem mais de 100 mil chamadas por dia, com duração inferior a 3 segundos, terão o serviço suspenso e poderão receber uma multa de até R$ 50 milhões.

O fato é que o cliente está com o controle na mão e, com apenas um clique, pode trocar de marca. Para o produtor de eventos e empreendedor, Pepo Fernando, isso eleva a importância de se investir na qualidade da interação com o cliente em todos os pontos de contato, incluindo as lojas físicas. Mais do que nunca, é preciso criar uma marca com conceito e identidade persuasivos, que mexam com as emoções dos consumidores e deem a sensação de pertencimento. "Quem se emociona, consome mais. O pico da emoção precisa ser desenhado para entregar uma experiência maravilhosa ao cliente", argumentou Pepo.

Com o mundo em constante mudança, o omnichannel surge para auxiliar as empresas nos pontos que envolvem não só a tecnologia, mas também o comportamento de consumo. Segundo o CEO da Nexcore, Ricardo Zanlorenzi, a melhor maneira do usuário ter uma ótima experiência é personalizando os canais de comunicação com as características da corporação. "O grande diferencial do omnichannel é que a integração faz com que os canais sejam amplos, possibilitando a personalização e identificando os principais problemas para que sejam solucionados pelo software", finaliza. 

*Imagem: Diego Simas/Divulgação  

 


Leia também
Para não perder clientes em um clique, empresas traçam estratégias humanizadas e escalam negócios

Gartner indica que remessas mundiais de PCs caíram 12,6% no segundo trimestre de 2022

Segundo uma pesquisa do Gartner, remessas mundiais de PCs totalizaram 72 milhões de unidades no segundo trimestre de 2022, número que...

Para não perder clientes em um clique, empresas traçam estratégias humanizadas e escalam negócios

O que é uma bandeira de cartão de crédito e como ela funciona?

Para o funcionamento do ecossistema dos meios de pagamento com eficiência e segurança, há diversos agentes envolvidos na...

Ver mais

Nenhum comentário no momento

Deixe um comentário

*Não é obrigatório adicionar o E-mail