Conferência Gartner Data & Analytics: Desbloqueando o Potencial da Inteligência Artificial Generativa

IA
Imagem: Freepik

Na era da transformação digital, a capacidade de extrair insights significativos dos dados é uma competência essencial para as organizações que desejam manter sua relevância e competitividade. Neste contexto, a Conferência Gartner Data & Analytics emergiu como um farol, guiando líderes de tecnologia através das últimas tendências e inovações no campo.

Recentemente, tive o privilégio de participar deste evento emblemático, onde as discussões giraram em torno do impacto da Inteligência Artificial Generativa (GenAI) nos negócios e como as organizações podem se preparar para aproveitar todo o seu potencial. Compartilho aqui os principais insights que emergiram deste evento inspirador.

1. GenAI: Desvendando um potencial enorme

A GenAI representa uma revolução no panorama empresarial, prometendo transformar a maneira como as organizações operam e criam valor. Durante a Conferência, ficou evidente que o potencial da GenAI é vasto e multifacetado, com uma infinidade de casos de uso em diversos setores. No entanto, um dos desafios cruciais para as empresas é determinar onde investir seus recursos limitados. A chave para isso reside na priorização de projetos com base em duas dimensões principais: o potencial de retorno financeiro para o negócio e a viabilidade técnica da solução, especialmente no que diz respeito à disponibilidade de dados de qualidade.

2. Governança de Dados: Um pré-requisito para o sucesso da GenAI

Um tema recorrente foi a importância da governança de dados na era da GenAI. Em pesquisa exibida no evento alguns dados apresentados mostram a deficiência das empresas neste quesito:

  • Somente 46% reportam possuir dados acurados e confiáveis;
  • Somente 39% reportam possuir dados seguros e com governança;
  • Somente 34% reportam possuir habilidades para mitigar potenciais riscos associados com IA;

Com a democratização das informações e o aumento da complexidade das operações analíticas, torna-se imperativo garantir que as informações estejam atualizadas, qualificadas e seguras. A GenAI impõe uma demanda ainda maior por governança de dados eficaz, destacando a necessidade das organizações investirem em estratégias robustas nessa área.

3. Democratização dos dados: rumo a uma cultura Data-Driven

Outro ponto crucial discutido foi a democratização dos dados e a construção de uma cultura data-driven. De acordo com pesquisa apresentada na conferência reportam que nos últimos nove anos, empresas que trataram a Inteligência Artificial como estratégica superaram seus concorrentes 80% das vezes.

Para se tornarem verdadeiramente orientadas por dados, as companhias devem garantir que as pessoas certas tenham acesso correto no momento ideal. Além disso, soluções self-service para as áreas de negócio emergiram como uma estratégia eficaz para capacitar os usuários a extrair insights valiosos dos sem depender exclusivamente de especialistas em análise.

4. Insights valiosos para o futuro das organizações

Ao refletir sobre as discussões e apresentações na Conferência Gartner Data & Analytics, fica claro que as organizações que abraçarem a GenAI como parte integrante de sua estratégia terão a oportunidade de diferenciar seus negócios e impulsionar o crescimento. No entanto, para alcançar esse potencial, é essencial investir não apenas em tecnologia, mas também em pessoas e processos, especialmente no que diz respeito à governança de dados e à cultura organizacional.

Nesse sentido, a Conferência Gartner Data & Analytics continua a ser uma fonte inestimável de insights e orientações para os líderes de tecnologia em todo o mundo. As discussões deste ano destacaram a importância da GenAI, a necessidade de governança de dados e o papel fundamental da cultura data-driven nas organizações do futuro. Como líderes de TI, é nosso dever não apenas absorver esses insights, mas também traduzi-los em ações concretas que impulsionem o sucesso de nossas organizações e de nossos clientes no cenário digital em constante evolução.

Gediel Luchetta, VP de Engenharia da ilegra, empresa global de estratégia, inovação e tecnologia.
Imagem: divulgação

*Por Gediel Luchetta, VP de Engenharia da ilegra, empresa global de estratégia, inovação e tecnologia.


Leia também
Como medir o ganho de produtividade com Inteligência Artificial
Como medir o ganho de produtividade com Inteligência Artificial

Em um mundo onde a inteligência artificial (IA) tem avançado a passos largos, economistas norte-americanos se encontram divididos quanto ao […]

Inteligência artificial: 5 novidades para smartphones que estão no radar
Inteligência artificial: 5 novidades para smartphones que estão no radar

Seja pela capacidade de ouvir, ver e gerar textos, áudios e imagens a partir de comandos em linguagem natural, a […]

Nova lei sobre uso da IA aprovada na Europa vai impactar o mundo – inclusive o Brasil
Nova lei sobre uso da IA aprovada na Europa vai impactar o mundo – inclusive o Brasil

A União Europeia (UE) aprovou no último dia 13 de março a Lei da Inteligência Artificial (IA) – ou Artificial […]

O papel das APIs na conexão entre dados e IA
O papel das APIs na conexão entre dados e IA

Tendência do momento, a Inteligência Artificial, especialmente a generativa, é fundamentalmente orientada por dados, uma vez que o seu conhecimento […]

10 motivos para aplicar inteligência artificial no marketing digital
10 motivos para aplicar inteligência artificial no marketing digital

Entenda como a IA está revolucionando o cenário do setor, permitindo personalização avançada, segmentação precisa e previsões de tendências Com […]