Quatro situações que demandam atenção ao modo de descartar os eletroeletrônicos e eletrodomésticos

Modo de descartar os eletroeletrônicos e eletrodomésticos
Imagem: Divulgação / Getty Images / Abree

Existem diversos motivos que levam à necessidade de descartar os resíduos eletroeletrônicos e eletrodomésticos (REEEs). Independentemente das razões variadas, é imperativo um descarte ambientalmente correto para evitar contaminações e danos ao meio ambiente. Pensando nisso, o presidente da ABREE – Associação Brasileira de Reciclagem de Eletroeletrônicos e Eletrodomésticos, Nilson Maestro, elaborou quatro dicas que envolvem o descarte ambientalmente correto desse tipo de resíduo, baseando-se em situações comuns que requerem a ação pela população. 

“Estamos empenhados em conscientizar a população, pois o Brasil é, atualmente, o quinto maior gerador de resíduos eletroeletrônicos do mundo, segundo a pesquisa Resíduos Eletrônicos no Brasil – 2021, da The Global E-Waste Monitor 2020. E apesar disso, ainda há pouca reciclagem e descarte ambientalmente correto de REEEs no País. Estima-se que somente 3% desse resíduo seja reciclado em toda a América Latina, conforme apontado por uma pesquisa da Organização das Nações Unidas. Precisamos reverter esse cenário, e a única maneira é a conscientização”, explica Maestro.  

O presidente da ABREE destaca algumas situações e considerações sobre reciclagem que precisam ser internalizadas pela população: 

  1. Mudança – um cenário muito comum que requer o descarte de eletroeletrônicos e eletrodomésticos é a mudança de residência. Seja devido à necessidade de adequação de espaço futuro ou às dificuldades de transporte do equipamento. Para esse cenário, é interessante avaliar o que realmente precisa ser descartado como resíduo.  Em alguns casos, é possível realizar doações de equipamentos bons e em funcionamento. Quando não houver essa opção, é necessário organizar o transporte para um ponto de recebimento adequado. Sempre que houver a necessidade de descartar esse tipo de resíduo, é possível acessar o site da ABREE, e na área de Pontos de Recebimento realizar uma busca utilizando o CEP residencial para encontrar o local mais próximo para efetuar o descarte. São mais de 4 mil pontos de recebimento em todo o País, abrangendo quase 1,3 mil municípios.  
  2. Trocas ou upgrades – outro cenário comum é a substituição de equipamento ou a atualização de peças. Muitas pessoas se preparam para trocar de aparelhos específicos em épocas determinadas, como gamers que frequentemente trocam monitores, teclados e mouses, ou entusiastas de futebol que buscam oportunidades para adquirir televisores melhores durante campeonatos. Nesses momentos, é interessante levar o equipamento antigo para um ponto de recebimento, que muitas vezes já estão localizados nas lojas que vendem os equipamentos novos. Acumular equipamentos antigos pode se tornar um problema e levar, no futuro, a um descarte inadequado. 
  3. Limpeza de garagem e guarda-roupas – a famosa limpeza da garagem, do sótão, do guarda-roupa e até de armazéns geralmente gera uma grande quantidade de resíduos eletroeletrônicos e eletrodomésticos. Isso ocorre porque, quando as pessoas trocam esses equipamentos, tendem a guardar os antigos, seja por não se atentarem ao descarte na hora da troca ou também por terem esperança de consertar os equipamentos quebrados. Quando o acúmulo de coisas, incluindo os REEEs, gera a necessidade de uma limpeza, a tendência é que muitos REEEs sejam descartados com o resíduo comum, o que é um erro e pode acarretar contaminações severas. Por isso, é necessário separar esse tipo de resíduo, assim como qualquer resíduo reciclável, destinando cada um ao devido lugar. Isso é parte essencial da limpeza. 
  4. Quebra – a quebra de um eletroeletrônico ou eletrodoméstico é a principal razão para o descarte desses equipamentos. Isso pode ocorrer em momentos diversos e nem sempre há possibilidade de concerto, causando frustração devido aos gastos e contratempos. Apesar das dificuldades, é importante lembrar que, independentemente da situação, é necessário encaminhar os REEEs corretamente para reciclagem, buscando um local adequado que receba o resíduo e não o descartar com resíduo sólido comum. 

Maestro ressalta que, embora diversas situações exijam o descarte, toda a cadeia de logística reversa começa com o descarte adequado feito pelo consumidor. Além disso, o descarte inadequado pode gerar diversas formas de contaminação, e o preço a longo prazo é muito alto, tanto para o meio ambiente quanto para a saúde humana, que podem ser afetadas de maneiras irreversíveis. 

“É por isso que é essencial que a população tenha em mente a importância do descarte adequado em momentos de necessidade. Existem milhares de pontos de recebimento da ABREE nas cidades brasileiras, e o descarte é mais simples do que parece, basta que esse conhecimento chegue às pessoas”, finaliza Maestro.


Leia também
5 motivos para adotar um relógio de ponto digital na sua empresa
5 motivos para adotar um relógio de ponto digital na sua empresa

Com o mundo empresarial em constante evolução, cada vez mais competitivo e com os desafios das rápidas e constantes mudanças […]

Vincent Martella, o Greg de ‘Todo Mundo Odeia o Chris’, está confirmado no Imagineland 2024
Vincent Martella, o Greg de ‘Todo Mundo Odeia o Chris’, está confirmado no Imagineland 2024

Ator Vincent Martella atendeu ao convite dos fãs brasileiros e do influenciador Peter Jordan para vir pela primeira vez ao […]

Serpro e Porto Digital lançam módulo ‘Rise Up’ para formar talentos em TI
Serpro e Porto Digital lançam módulo ‘Rise Up’ para formar talentos em TI

Estatal inaugura novo capítulo na formação tecnológica em Recife com a oferta de uma disciplina em curso promovido pelo Senac. […]

Uber inaugura ponto de embarque na Rodoviária do Rio
Uber inaugura ponto de embarque na Rodoviária do Rio

A concessionária que administra o terminal carioca e a Uber inauguram a primeira área para o embarque de passageiros em […]

A era das digital skills: desenvolvimento de habilidades tech em profissionais que não são de tecnologia
A era das digital skills: desenvolvimento de habilidades tech em profissionais que não são de tecnologia

Atualmente, não há como negar que o bom profissional é aquele que se adapta às transformações do mercado e adquire […]