A importância das cores em anúncios e comunicados

Equipe trabalhando em marketing
Imagem:

Cada ser humano é único e tem suas próprias percepções. Ainda assim, você deve concordar que as cores muitas vezes têm seus significados próprios. Por exemplo: quem nunca ouviu a expressão “sinal amarelo” e já entendeu que o momento exigia atenção? Modelos como esse são importantes para mostrar por que as companhias devem conhecer a linguagem das cores. Afinal de contas, pode ser que o sucesso de sua empresa esteja mais relacionado à cor dos avisos do que sua equipe pensa.

O fato é que companhias de todos os portes e segmentos podem se aproveitar do conhecimento sobre as cores para estimular a comunicação. O que sua organização quer dizer aos clientes? A resposta seguramente precisa começar com a escolha da cor certa.

Pesquisas destacam, por exemplo, que as pessoas geralmente definem suas impressões sobre um determinado conteúdo ou marca em no máximo 90 segundos, e que em 90% das vezes esse julgamento é influenciado diretamente pelas cores apresentadas. Ou seja, um cartaz produzido com a paleta de cores errada – ou com uma impressão desbotada – pode significar uma venda a menos a ser concretizada.

A escolha das cores é, portanto, uma questão que deve ser encarada como uma decisão estratégica, muitas vezes deixando de lado as preferências pessoais. Levantamentos de mercado indicam, entre outras coisas, que 85% dos consumidores acreditam que a cor é o fator mais importante ao escolher um produto – sendo que entre 62% e 90% das avaliações de compra são baseadas exclusivamente nas cores. Além disso, 80% relatam que a cor determina o reconhecimento da marca.

Nesse cenário, é verdade que cada tom usado nas peças tem seu próprio espaço na construção da mensagem a ser oferecida: o amarelo, por exemplo, além de ser usado para atrair atenção, também pode ser usado para estimular o apetite e a sensação de alegria. Do mesmo modo, o vermelho tem características ligadas à fome e ao calor, entre tantos outros simbolismos.

Para os avisos, outra cor indicada é o laranja, que entrega energia e jovialidade, reforçando os movimentos mais impulsivos e inovadores. Companhias ligadas à área de Saúde e vendas de serviços podem utilizar tons de azul e verde, que indicam confiança e tranquilidade, respectivamente.

Vale destacar, entretanto, que todas as cores provocam suas reações, evidentemente quando combinadas ao contexto e à expectativa dos clientes. Uma rede de móveis pode usar o verde para relaxar e ganhar a confiança do comprador, enquanto uma farmácia pode adotar o mesmo tom para sua área de produtos naturais, associando os itens à venda com a natureza.

Sendo assim, a grande questão é segmentar e entender bem seu público-alvo, criando uma estratégia de cores adequada ao perfil dos clientes e da mensagem que a organização quer transmitir em seus comunicados. Garantir a diversidade dos materiais e a qualidade dessas produções, com contrastes e imagens, é um fator primordial para transformar as sensações dos compradores na loja em negócios reais.

Estamos vivendo uma era digital que torna a experiência visual um ponto mandatório para a geração de negócios. Com o avanço do e-commerce, por exemplo, usar a Web para decidir nossas compras se tornou algo habitual – com inúmeras imagens, vídeos e interações sempre à disposição. Os estabelecimentos físicos devem promover também uma experiência sensorial capaz de atrair as pessoas.

Os comerciantes têm muito a ganhar com a sinalização impressa, com peças personalizadas para transformar seus corredores e gôndolas em uma jornada muito mais agradável. Mas não são apenas as lojas que poderão ganhar com essa estratégia: as cores são um atributo essencial para companhias de todos os segmentos. Por exemplo: até mesmo hospitais e centros de saúde devem estar atentos à gama de cores de seus comunicados.

Para o marketing e para as vendas, a “psicologia das cores” e seus significados devem ser vistos como uma ação estratégica para usar em favor da sua campanha todas as percepções que as cores geram nos consumidores. A escolha da cor está associada à linguagem da marca e, portanto, precisa ser trabalhada como parte da mensagem a ser distribuída.

Dizem que, sozinha, uma imagem vale mais que mil palavras. Pode até ser. Mas no caso do Varejo e das comunicações de venda, o uso das cores deve ser levado em consideração para potencializar imagens e palavras, atraindo quem sua empresa realmente quer conquistar: os clientes. 

Por Cristiane Borato, Supervisora de Marketing da OKI Data Brasil 

*Imagem: Pixabay/Sanu A S 


Leia também
3 estratégias para implementar a Logística Reversa no Trade Marketing
3 estratégias para implementar a Logística Reversa no Trade Marketing

A preocupação com a sustentabilidade e a responsabilidade ambiental tem ganhado cada vez mais relevância no mundo dos negócios. Nesse […]

5 motivos para adotar um relógio de ponto digital na sua empresa
5 motivos para adotar um relógio de ponto digital na sua empresa

Com o mundo empresarial em constante evolução, cada vez mais competitivo e com os desafios das rápidas e constantes mudanças […]

Vincent Martella, o Greg de ‘Todo Mundo Odeia o Chris’, está confirmado no Imagineland 2024
Vincent Martella, o Greg de ‘Todo Mundo Odeia o Chris’, está confirmado no Imagineland 2024

Ator Vincent Martella atendeu ao convite dos fãs brasileiros e do influenciador Peter Jordan para vir pela primeira vez ao […]

Serpro e Porto Digital lançam módulo ‘Rise Up’ para formar talentos em TI
Serpro e Porto Digital lançam módulo ‘Rise Up’ para formar talentos em TI

Estatal inaugura novo capítulo na formação tecnológica em Recife com a oferta de uma disciplina em curso promovido pelo Senac. […]

Uber inaugura ponto de embarque na Rodoviária do Rio
Uber inaugura ponto de embarque na Rodoviária do Rio

A concessionária que administra o terminal carioca e a Uber inauguram a primeira área para o embarque de passageiros em […]