Cotidiano

Brasileiro amplia uso de pagamentos digitais, aponta pesquisa da FIS

Novos hábitos são convergentes à oferta de novas ferramentas e inovações tecnológicas, como Pix, que encerrou 2021 movimentando R$ 622,4 milhões

O brasileiro tem aderido cada vez mais ao uso de pagamentos digitais. O estudo Pace Pulse, realizado pela FIS (NYSE: FIS) em parceria com a Ipsos, mostra o crescimento de diferentes métodos tecnológicos na hora de o consumidor efetuar sua compra. Um grupo de 52% dos entrevistados afirmou ter utilizado pagamentos online, 49% adquiriu sua mercadoria por meio de aplicativos e 40% optou por pagamentos sem contato em 2021. Todos os percentuais subiram se comparado ao levantamento anterior. A pesquisa observou ainda a aceitação da população a outros meios de pagamentos como QR Codes (31%) e Buy Now Pay Later, ou simplesmente BNPL, (13%).

Continua após o anúncio

A mudança de hábitos do consumidor é um reflexo da disponibilidade de novas ferramentas e inovações tecnológicas do setor financeiro. A chegada do Pix, pagamento instantâneo criado pelo Banco Central, é um exemplo das facilidades que têm influenciado a escolha do brasileiro. Segundo dados da autoridade monetária, o volume financeiro de transações via Pix registrado no Sistema de Pagamentos Instantâneos (SPI) foi de R$ 622,4 milhões em dezembro de 2021. O crescimento foi 451%, se comparado a janeiro do mesmo ano, quando a movimentação chegou a R$ 137,9 milhões. O número de pessoas físicas e jurídicas cadastradas também subiu de forma expressiva. Eram 65,4 milhões de usuários em janeiro de 2021 e fechou o ano com 117,7 milhões de cadastrados, representando 79,8% de novos usuários no sistema do Banco Central.

Pagamentos Digitais usados com mais frequência

Fonte: FIS 

Segundo Marcelo Góes, head de Soluções e Produtos da FIS para América Latina, essa tendência veio para ficar. “O brasileiro é naturalmente um público que adota tecnologias com agilidade. Para os meios de pagamento, acontece o mesmo, assim como podemos ver na adesão ao Pix. Por um histórico de segurança, os consumidores já estão acostumados com pagamentos sem o uso do dinheiro físico. O Pace Pulse mostrou que 47% dos brasileiros afirmam ter reduzido a utilização do dinheiro em espécie em 2021”, comenta.

Dados geracionais –  O estudo também analisou o comportamento do consumidor brasileiro por gerações. Em 2021, todas as faixas etárias tiveram significativa adesão por pagamentos via aplicativos e sem contato. Pessoas entre 18 e 40 anos são as mais aderentes às compras por aplicativos, sendo o método preferido por 61% dos Young Millennials (de 25 a 29 anos), 57% da geração Z (de 18 a 24 anos) e 51% dos Senior Millennials (de 30 a 40). Embora em menor proporção, os consumidores das gerações X (41 a 55 anos) e Baby Boomers (acima dos 55 anos) afirmaram pagar suas compras via app, sendo 45% e 34%, respectivamente.

Também aumentou a preferência por pagamentos contactless, aqueles feitos por aproximação, sendo mais representativo o uso entre os Young Millennials, com 49%, seguidos das gerações Z (43%) Senior Millennials (42%), X (39%) e Baby Boomers (28%). Para Marcelo Góes, a tendência de crescimento dos pagamentos digitais no Brasil evidencia que “o consumidor de hoje se preocupa com a conveniência, agilidade e segurança. A tecnologia e a inovação financeira, como mostra o levantamento deste ano, vem ofertando exatamente isso”.

O estudo Pace Pulse é realizado há seis anos em países como Reino Unido, Estados Unidos, Índia, e há dois anos no Brasil, e traz uma fotografia real do mercado quando se fala em comportamento do consumidor e a sua relação com as instituições financeiras, novos métodos de pagamentos, além dos impactos causados pela pandemia e alguns insights daquilo que deve se consolidar no pós-pandemia. A pesquisa ouviu cerca de 2.000 adultos brasileiros de cinco diferentes gerações, entre 18 e 74 anos de idade, e traz um comparativo de comportamento do consumidor brasileiro em dois momentos: outubro de 2020 e agosto de 2021.

 

 


Leia também
Redes sociais focadas no desenvolvimento humano constroem a web 3.0

Redes sociais focadas no desenvolvimento humano constroem a web 3.0

A Web 3.0 já está entre nós, ela é uma nova tendência que está afetando o modo como as pessoas se...

Geração Z no Twitter: 7 em cada 10 jovens acessam o Twitter todos os dias

Geração Z no Twitter: 7 em cada 10 jovens acessam o Twitter todos os dias

É bem provável que você já tenha se deparado com algum Tweet explicando "como não ser cringe" e oferecendo dicas de...

GitHub faz a última adição ao Cofre de Códigos no Ártico, na Noruega, antes do trancamento final

GitHub faz a última adição ao Cofre de Códigos no Ártico, na Noruega, antes do trancamento final

Nas profundezas de uma montanha do Ártico, mais perto do Pólo Norte do que do Círculo Ártico, em uma câmara...

Home office: com a disseminação do trabalho remoto, empresas inovam em práticas de engajamento

Home office: com a disseminação do trabalho remoto, empresas inovam em práticas de engajamento

É fato que a possibilidade de trabalho remoto e híbrido se tornaram realidade para muitas empresas que, antes do isolamento social,...

Ver mais

Nenhum comentário no momento

Deixe um comentário