Embrapa e Taggen planejam desenvolver tecnologia barata e acessível para rastreabilidade animal

Novo sistema nacional para rastrear gado
Imagem: Divulgação

A iniciativa vai realizar adequações para empregar a tecnologia no ambiente rural (outdoor) para monitoramento dos animais

Um sistema de identificação animal vai permitir ao produtor rural planejar, monitorar e gerenciar as atividades operacionais e estratégicas da propriedade. A Embrapa Pecuária Sudeste e a startup Taggen Industries and Services, especializada em IoT e RFID, uniram suas competências para desenvolver uma tecnologia que pretende ter baixo custo e maior versatilidade, limitadores atuais para que os pecuaristas adotem as soluções já disponíveis no mercado. A parceria deve entregar ao mercado o novo produto, por etapas, em até dois anos.

A inovação é baseada, inicialmente, em tecnologia de comunicação digital sem fio BLE (Bluetooth Low Energy), composto de dispositivos individuais (beacon), leitores (gateways) e a plataforma Taggen de monitoramento em cloud. A ideia é que a ferramenta não exija do operador alta qualificação, porque o BLE necessita de poucos acessórios, simplificando o processo de instalação.

A solução já é adotada em vários ecossistemas, como agrotechs, ambientes prediais (indoor), logística, indústria, automotivo e hospitalar. “A proposta é realizar adequações para empregá-la no ambiente rural (outdoor) para monitoramento dos animais em tempo real. O desafio é tornar o sistema viável para uso na pecuária. Os benefícios vão desde o inventário do rebanho até a rastreabilidade dos animais, passando por monitoramento do comportamento, bem-estar e segurança patrimonial”, explica o pesquisador da Embrapa, Alberto Bernardi.

O público-alvo é formado por pecuaristas que tenham interesse na identificação, localização, rastreabilidade, certificação e gerenciamento da movimentação de animais. Segundo Werter Padilha, CEO da Taggen, a ideia é que os dispositivos sejam distribuídos por lojas agropecuárias e que tenham o conceito de “plug and play”, tal qual um cliente compra um chip de uma operadora de telefone, em uma loja física, habilita-o e já passa a utilizá-lo imediatamente.

Experimento

A pesquisa será conduzida na Embrapa Pecuária Sudeste, em São Carlos (SP). Para iniciar o projeto, 60 animais serão avaliados. Vinte vacas de leite e 40 bovinos de corte em sistema extensivo e intensivo com integração Lavoura-Pecuária Floresta (ILPF). Em fevereiro, a Taggen já fez o mapeamento das áreas, além das condições para o monitoramento dos animais. A previsão é de que no mês de abril as primeiras avaliações sejam realizadas.


Leia também
Evento Agro: Tecnoshow COMIGO 2024 movimentou R$ 9,34 bilhões
Evento Agro: Tecnoshow COMIGO 2024 movimentou R$ 9,34 bilhões

Após cinco dias de evento e uma movimentação de R$ 9.340 bilhões em negócios, chega ao fim a 21ª edição […]

Projeto Nossa Isca tem segunda edição na Baixada Santista
Projeto Nossa Isca tem segunda edição na Baixada Santista

Iniciativa capacita pescadores, promove geração de renda e tem financiamento do BNDES No mês de março, teve início a segunda […]

Tecnoshow Comigo: Fabricante argentina de plantadeiras estreia no Brasil
Tecnoshow Comigo: Fabricante argentina de plantadeiras estreia no Brasil

Crucianelli, que recentemente anunciou uma joint venture com o Grupo Piccin, de São Carlos-SP, para a fabricação de equipamentos em […]

Agronegócio: Rio Grande do Sul almeja aumentar a área irrigada em 100 mil hectares
Agronegócio: Rio Grande do Sul almeja aumentar a área irrigada em 100 mil hectares

Para reduzir cada vez mais os impactos das estiagens, Governo do Estado anunciou R$ 213,2 milhões de subvenção para incentivar […]

O novo papel do engenheiro agrônomo na era digital
O novo papel do engenheiro agrônomo na era digital

No ambiente dinâmico do agronegócio moderno, a função do engenheiro agrônomo como consultor está em constante evolução, impulsionada principalmente pelo […]